Você sabia que nosso cérebro planeja a dor?

Monday, 19 de October de 2020

Todos nós sentimos dor... Mas, você já parou pra pensar como sentimos dor, de onde ela vem? E como nosso cérebro reage a dor? A sensação de dor funciona como um sistema de alarme, informando-nos quando devemos evitar certas atividades ou quando devemos estar atentos a partes do corpo que possam ter sofrido danos.



Fonte: Young Minds (2020)

A dor rapidamente direciona nossa atenção para uma área do corpo nos machucamos, e é por isso que a dor pode ser um grande sistema de alarme, pois, à medida que sentimos o incômodo físico tentamos interromper o que quer que a esteja causando. Porém, é importante destacar que a dor também é influenciada por nossos pensamentos e sentimentos

Esses pensamentos e sentimentos tem a ver com nossas experiências anteriores de dor e às nossas memórias e emoções dessas sensações. Se tivermos lembranças sobre essa dor, isso pode piorar nossa sensação físicas de dor. Da mesma forma, memórias menos tristes podem reduzir a sensação física de dor. Este efeito moderador de nossas memórias e sentimentos é o que chamamos de nossa expectativa da dor. Ter consciência de nossas expectativas de dor pode nos ajudar a controla-la.

Os avanços na tecnologia que nos permitiram tirar fotos do cérebro e medir sua ativação em momento de dor, essas técnicas são chamadas de neuroimagem, e nos forneceram medidas novas e objetivas da dor e da expectativa de dor. Esses métodos podem ser muito caros, portanto, pesquisadores e médicos ainda costumam confiar em medidas subjetivas. 

O que de mais interessante nisso é que alguns pesquisadores demonstraram que a expectativa de dor é algo que pode ser controlado. Nesse estudo, os cientistas enganaram os participantes para que esperassem mais dor do que realmente eles irão sentir através de uma seção de treinamento, e a expectativa os fez sentir mais dor do que o estímulo estava realmente causando! Os pesquisadores também usaram ressonância magnética funcional para observar a atividade do cérebro. Com isso, perceberam que as áreas do cérebro relacionadas à dor mostraram a maior ativação quando os participantes sentir mais dor.  


Fonte: Record (2020)

Lembre-se de que, até certo ponto, podemos controlar como nos sentimos, portanto, ser positivo pode ter efeitos benéficos em nossas vidas em todos os tipos de áreas!!!


Referências

HOSKIN, Robert et al. Sensitivity to pain expectations: a Bayesian model of individual differences. Cognition, v. 182, p. 127-139, 2019.

Sordo G.; Moyer E.; Goode, D.; Hout M. This Will Only Hurt for a Minute: How Our Brains Plan for Pain. Front. Young Minds. 8:539649, 2020. Doi: 10.3389/frym.2020.539649

 

 

The content published here is the exclusive responsibility of the authors.

Autor:

Livia Nascimento Rabelo

Support

livia@brainsupport.co









for MRISocial InteractionHeadstages EPHYSBrain StimulationTMS researchResponse DevicesGame TheoryPhysiology and BehaviorConsciousness States ResearchPlasticity, nfb & nModnEdu & nDevMotivation, Emotion & CravingTranslational EducationAttention & MemoryLanguage ProcessingLearning & MemoryNeuropoliticsSleepAgingReligareCultural NeuroscienceMetacognition & MindSetDecision MakingHuman CompetenceNeuroscience of ConsciousnessExecutive FunctionsFunctional ConnectivityPhysiology & BehaviorInhibitory Control & SwitchingNeuroArtIonic MovementsNeuroPhilosophyChoice MechanismsPriming EffectNeuroRightsPerception & ActionStress & CognitionSocial PreferencesInhibitory Control & SwitchingNeuroArt