Tecnologia: desenvolvimento do cérebro adolescente

Monday, 16 de November de 2020

O cérebro funciona como uma máquina muito incrível, ele tem regiões que se conectam e fazem as coisas acontecer da forma que deveriam. O cérebro tem regiões que reagem a coisas que são excitantes ou gratificantes (regiões de recompensa) e regiões que ajudam você a planejar e controlar seus impulsos. Sabendo disso, foi possível perceber que o uso correto da tecnologia tem o potencial de aprimorar o aprendizado à medida que atinge o equilíbrio entre essas regiões de recompensa e controle, especialmente naqueles em desenvolvimento - crianças e adolescentes.


Fonte: Telecom (2016)

 

Crianças e adolescentes crescem e se desenvolvem muito rápido e seus cérebros acompanham essas evolução - eles mudam, e, com isso, o equilíbrio entre as regiões de recompensa e as regiões de controle cerebral também muda. Essas mudanças cerebrais possuem muitos benefícios, pois, elas permitem que as crianças e adolescentes se tornem mais dispostos a assumir riscos, explorar, e aprender com os amigos. No entanto, essas mudanças cerebrais também tornam difícil para as crianças regular seu comportamento, especialmente quando os amigos estão por perto ou quando há muita agitação. 

Nesse ponto a tecnologia pode atuar, pois, está pode ajudar a aprimorar o aprendizado trabalhando nessas duas regiões (recompensa e controle).  Falando em tecnologia, quem poderia ser mais especialista nesse assunto se não crianças e adolescentes? A tecnologia oferece muitas oportunidades para as crianças e adolescentes se conectarem, aprenderem, e claro muuuuuita diversão (tanto dentro e fora da sala de aula). Entretanto, esta também traz alguns riscos, como distração, muito tempo em frente à uma tela, acesso a coisas que podem ser perigosas, etc. Com isso, alguns recursos tecnológicos também ser prejudiciais para o desenvolvimento, promovendo interações sociais prejudiciais ou tornando muito difícil controlar os impulsos online.

Mas, alguns estudos veem demonstrando que usar a tecnologia com moderação em atividades de qualidade é fundamental e extremamente benéfico para o desenvolvimento do cérebro adolescente !!!  Atividades como bater papo com familiares e amigos, trabalhar em um projeto, criar conteúdo, assistir vídeo aulas, etc. Agora imagine um pouco se para nos esse período de isolamento social foi difícil, imagina para as crianças e adolescentes que possuem muita energia, curiosidade, vontade de explorar o mundo, etc. Agora imagine tudo isso sem o auxílio da tecnologia, como teria sido mais difícil!
 
A figura abaixo mostra como o uso moderado de telas (videogames, smartphones, computadores, tablets, etc.) está associado ao maior bem-estar. De forma inversa, o uso extremo (baixo e alto uso da tecnologia) estão associados a um menor bem-estar.



Fonte: Adaptado Przybylski e Weinstein


A adolescência é período empolgante em que a pessoa tenta constantemente descobrir quem é, entenderá o que e quem gosta e desenvolver as ferramentas de que precisa para perseguir suas paixões.  Pode até haver benefícios positivos para a saúde mental em conversar com seus amigos, postar fotos de seu trabalho criativo ou conectar-se com um grupo de pessoas que compartilham um interesse comum. Sendo assim, é fundamental que os pais monitorem a qualidade e o conteúdo do que eles fazem online, em vez de se fixar no número de horas para garantir que o auxílio desta tecnologia está sendo bom para o adolescente.
 
Os cientistas têm se envolvido nessa temática há muito tempo, e alguns estudos envolvendo EEG, NIRS veem demonstrando os benefícios, malefícios e áreas afetadas com esse uso (seja positivo ou negativo).


Referências
 
DAHL, Ronald E. et al. Importance of investing in adolescence from a developmental science perspective. Nature, v. 554, n. 7693, p. 441-450, 2018.
 
MAGIS-WEINBERG, L; BERGER, E. Mind Games: Technology and the Developing Teenage Brain. Front. Young Minds. 8:76, 2020. doi: 10.3389/frym.2020.00076.  

The content published here is the exclusive responsibility of the authors.

Autor:

Livia Nascimento Rabelo

Support

livia@brainsupport.co









EEG ERP BCINIRSEEG fMRIEEGfor MRISync LabSocial InteractionHeadstages EPHYSEEG combinedBrain StimulationEEG ElectrodesResponse DevicesElectrodes EPHYSEye TrackingGame TheoryPhysiology and BehaviorEEG Data AnalysisConsciousness States ResearchPlasticity, nfb & nModEEG CombinedMobile EEG NIRS applicationsnEdu & nDevTranslational EducationAttention & MemoryLanguage ProcessingLearning & MemoryNeuropoliticsSleepAgingReligareCultural NeuroscienceMetacognition & MindSetDecision MakingHuman CompetenceNeuroscience of ConsciousnessSport & Motor BehaviorExecutive FunctionsFunctional ConnectivityInhibitory Control & SwitchingNeuroPhilosophyChoice MechanismsNeuro-Glia InteractionsPriming EffectSkill LearningSelf PerceptionPerception & ActionStress & CognitionSocial PreferencesInhibitory Control & Switching