O vírus da herpes influencia no desenvolvimento cerebral do feto?

Monday, 26 de October de 2020

A infecção pelo vírus da herpes pode ocorrer em uma grande parte da população mundial. Em gestantes, há o risco de transmitir ou causar sequelas no bebê?

 
Fonte: Jusro  (2017)

O vírus da herpes, HSV-1, pode causar diversos problemas ao longo da vida, inclusive neurológicos. Disfunção cognitiva, dificuldade de aprendizado e demência são alguns desses exemplos que acometem alguns portadores do vírus. Quando se trata de gestantes, uma das grandes questões é a compreensão das sequelas que o vírus pode causar no desenvolvimento do cérebro fetal, assunto pouco investigado por limitações como o acesso restrito ao tecido cerebral fetal, por exemplo.

Um estudo realizado teve por objetivo abordar essa lacuna, no qual pesquisadores da Universidade de Wuhan geraram três modelos de distúrbios de neurodesenvolvimento baseados em células, com camadas de duas e três dimensões. O modelo é baseado em células tronco pluripotentes induzidas por humanos (hiPSCs), que são células geradas por reprogramação genética de células adultas especializadas.

Figura: Resultados infectados com HSV-1 ( Qiao et al., 2020)

Os resultados foram bem interessantes, onde foi possível verificar que a infecção pelo vírus prejudicou a produção de novos neurônios e impediu que as células troncos induzidas se convertessem em neurônios maduros. A infecção na gestante pode se espalhar para o cérebro do feto durante a gravidez e isso pode aumentar os riscos de deficiências voltadas para o desenvolvimento neurológico e déficits

Isso é muito interessante pois, segundo os autores, esses resultados ocasionam a maior compreensão do processo e abre lacunas para desenvolvimentos terapêuticos e direcionamento de cápsulas virais que podem ser relevantes para distúrbios de neurodesenvolvimento. Como citado, esses fatores podem influenciar na disfunção cognitiva e no aprendizado, o que mostra a relevância do tema.

Já em bebês, é possível fazer uma análise da atividade cerebral através de um método não invasivo  conhecido por espetroscopia no infravermelho próximo, o NIRS. Ficou interessado nessa linha de pesquisa e suas tecnologias. Entre no hub da Brain Support e dÊ uma olhada no NIRS e em diversos equipamentos que podem lhe ajudar em suas pesquisas.

Referências

Qiao H, Guo M, Shang J, Zhao W, Wang Z, Liu N, et al. (2020) Herpes simplex virus type 1 infection leads to neurodevelopmental disorder-associated neuropathological changes. PLoS Pathog 16(10): e1008899.

Lin CH, Lin WD, Chou IC, Lee IC, Hong SY. Epilepsy and Neurodevelopmental Outcomes in Children With Etiologically Diagnosed Central Nervous System Infections: A Retrospective Cohort Study. Front Neurol. 2019;10:528. pmid:31156546

Corradini I, Focchi E, Rasile M, Morini R, Desiato G, Tomasoni R, et al. Maternal Immune Activation Delays Excitatory-to-Inhibitory Gamma-Aminobutyric Acid Switch in Offspring. Biological Psychiatry. 2018;83(8):680–691. pmid:29146047

 

The content published here is the exclusive responsibility of the authors.

Autor:

Mouhamed Zorkot

Guru

mouhamed@brainsupport.co









NIRSNeuroscience LabSocial InteractionEEG combinedBrain StimulationStimulus PresentationsResponse DevicesPhysiology and BehaviorPlasticity, nfb & nModEEG CombinedMobile EEG NIRS applicationsMotivation, Emotion & CravingTranslational EducationAttention & MemoryLanguage ProcessingLearning & MemoryHuman CompetenceSport & Motor BehaviorExecutive FunctionsFunctional ConnectivityPhysiology & BehaviorInhibitory Control & SwitchingNeuroPhilosophyChoice MechanismsSkill LearningSelf PerceptionNeuroRightsPerception & ActionStress & CognitionSocial PreferencesInhibitory Control & Switching