O uso de álcool pode afetar o desenvolvimento do cérebro adolescente?

Friday, 13 de November de 2020

É muito difundida a ideia de que o uso de álcool em excesso tem um poder negativo em diversos aspectos físicos, cognitivos e emocionais na vida das pessoas. Porém, será que esse uso afeta o desenvolvimento cerebral dos adolescentes? De fato, o que significa ter um cérebro em desenvolvimento e porque o álcool afeta os adolescentes de maneira diferente dos adultos?


                                                                                                   Fonte: Uol (2016)

Muitos estudos têm destacado que as experiências que temos durante o período denominado adolescência (em torno de 12 a 18 anos), possuem grande influencia no caminho para a saúde do cérebro na idade adulta. O cérebro adolescente está constantemente se adaptando e respondo ao mundo ao nosso redor, processo este chamado de neuroplasticidade, que é a propriedade plástica e flexível do cérebro que permite que ele mude com o tempo.

O cérebro, de forma curiosa geralmente se desenvolve de trás para frente. A parte posterior do cérebro é responsável pelas funções básicas de que precisamos para sobreviver, como respiração, frequência cardíaca e coordenação. A parte média do cérebro, é responsável por instintos primitivos como ativar emoções, armazenar memórias, sentir prazer e manter um ambiente interno constante, etc. A parte frontal do cérebro, é responsável pelo pensamento sofisticado de alto nível, raciocínio, controle de impulso, gerenciamento de emoções e tomada de decisões. Esta, é a última parte do cérebro a se desenvolver totalmente. 

Na frente do cérebro frontal temos o córtex pré-frontal. Durante a adolescência, região ainda está em desenvolvimento, o que o torna mais vulnerável aos impactos negativos das drogas por exemplo. Embora os adultos tenham menos neuroplasticidade e não aprendam tão rapidamente quanto os jovens, seus cérebros estão mais “protegidos” contra os efeitos prejudiciais das substâncias no cérebro.



Fonte: Uol (2017)

 

O álcool é um depressor neural, o que significa que reduz a atividade cerebral (Quanto mais uma pessoa ingere álcool, menos ativo seu cérebro se torna, e isso tende a acontecer da parte da frente para trás do cérebro, o que significa que a parte mais recentemente desenvolvida, ou ainda em desenvolvimento, do cérebro é afetada primeiro). Sendo assim, é um equívoco comum é pensar que as drogas (como o álcool) têm os mesmos efeitos nas pessoas, na verdade, quando falamos de “biológico” nada é nivelado - todos nós temos uma suscetibilidade diferente aos danos relacionados às drogas. Isso é particularmente verdadeiro para os adolescentes porque seus cérebros ainda estão em desenvolvimento.


Referências

 

Debenham J, Chapman C, McIntyre R, Birrell L, Champion K and Newton N (2020) How Does Adolescent Alcohol Use Affect the Developing Brain?. Front. Young Minds. 8:525155. doi: 10.3389/frym.2020.525155.

Lees, B., Mewton, L., Stapinski, L. A., Squeglia, L. M., Rae, C. D., and Teesson, M. 2019. Neurobiological and cognitive profile of young binge drinkers: a systematic review and meta-analysis. Neuropsychol. Rev. 29:357–85. doi: 10.1007/s11065-019-09411-w.

Seo, D., and Sinha, R. 2015. Neuroplasticity and predictors of alcohol recovery. Alcohol Res. 37:143–52.

The content published here is the exclusive responsibility of the authors.

Autor:

Livia Nascimento Rabelo

Support

livia@brainsupport.co









for MRISync LabSocial InteractionStimulus PresentationsResponse DevicesPhysiology and BehaviorConsciousness States ResearchMobile EEG NIRS applicationsnEdu & nDevTranslational EducationAttention & MemoryLearning & MemoryNeuropoliticsAgingReligareCultural NeuroscienceDecision MakingHuman CompetenceNeuroscience of ConsciousnessSport & Motor BehaviorExecutive FunctionsFunctional ConnectivityIonic MovementsNeuroPhilosophyChoice MechanismsSelf PerceptionPerception & ActionStress & CognitionSocial Preferences