EEG - JOGOS DO CÉREBRO, é possível estimular funções executivas?

Tuesday, 01 de December de 2020
As crianças amam os Jogos de vídeogame, especialmente por serem envolventes e dinâmicos. Entretanto, além do entreterimento os videogames têm demonstrado um potencial de exercitar a área pré-frontal do cérebro e melhorar as habilidades cognitivas, como isso procede ?


Fonte: gameblast (2014)

As habilidades cognitivas de nível mais superior são chamadas de funções executivas (FEs), estas principalmente associadas ao córtex pré-frontal, referindo-se a processos cognitivos de alto nível orientados para a inibição reativa e a direção do comportamento voltado à objetivos e estão diretamente relacionadas ao desenvolvimento do cérebro. Elas englobam três habilidades cognitivas - controle inibitório, memória de trabalho e flexibilidade cognitiva. As FEs têm sido considerados essenciais para a saúde física e mental, o desempenho acadêmico e o desenvolvimento cognitivo, social e psicológico. Os déficits nessas funções vem sendo cada vez mais associdados a distúrbios do neurodesenvolvimento e diferentes tipos de psicopatologia.

As pessoas que possuem limitações cognitivas sofrem de decrécimos nas suas funções intelectuais, como raciocínio, aprendizagem e solução de problemas. Essas dificuldades afetam suas habilidades conceituais, sociais e práticas, que podem impactar negativamente na sua saúde emocional e psicológica, especialmente as crianças. Métodos para minimizar e reabilitar déficits cognitivos são de grande importância.

Mas, é possível desenvolver ou estimular FEs ?

Um estudo recente buscou fazer isso de uma forma mais divertida, utilizando videogames procurou verificar sua capacidade de estimular funções executivas em adolescentes. Para registros dos dados utilizou eletroencefalografia (EEG). Para isso, foi utilizado um conjunto de videogames simples focado em mecânicas de ação específicas desenvolvidos pelos próprios alunos da faculdade. A foto abaixo mostra a imagem do experimento?

 



A categoria de videogame escolhida são os denominados “videogames de ação”, uma modalidade de videogame que exige capacidade do usuário para enfrentar os desafios propostos. Este gênero de videogame pode testar várias habilidades do usuário. Através do EEG, foi comprovada uma atividade claramente proeminente no nível pré-frontal do cérebro que está relacionada às funções executivas, e maior ativação do lobo temporal. Demonstrando, o potencial que esses jogos possuem de estimular essas áreas que são envolvidas com as FEs.


Dessa forma, é possível perceber que o desenvolvimento de videogames com finalidade de diagnóstico e treinamento de FEs por meio da ativação de atividade cerebral relacionada a determinadas habilidades cognitivas. QUE TAL ENVOLVER ENTRETERIMENTO, BAGUNÇA E ESTIMULAÇÃO DE FE's EM UMA COISA SÓ ? aposto que seus filhos irão adorar!!!


Referência

Mondéjar, T., Hervas, R., Johnson, E., Gutierrez, C., & Latorre, J. M. (2016). Correlation between videogame mechanics and executive functions through EEG analysis. Journal of biomedical informatics, 63, 131-140.

 

The content published here is the exclusive responsibility of the authors.

Autor:

Livia Nascimento Rabelo

Support

livia@brainsupport.co









Social InteractionEEG ElectrodesResponse DevicesGame TheoryTMS EEGEEG Data AnalysisConsciousness States ResearchPlasticity, nfb & nModEEG Electrode CAPsMobile EEG NIRS applicationsMotivation, Emotion & CravingAttention & MemoryLanguage ProcessingLearning & MemoryNeuropoliticsSleepReligareCultural NeuroscienceMetacognition & MindSetDecision MakingHuman CompetenceNeuroscience of ConsciousnessExecutive FunctionsFunctional ConnectivityPhysiology & BehaviorInhibitory Control & SwitchingChoice MechanismsNeuro-Glia InteractionsPriming EffectSelf PerceptionNeuroRightsPerception & ActionStress & CognitionSocial PreferencesInhibitory Control & Switching