BIOFILIA E NEUROARQUITETURA - Fazendo a conexão da natureza com o nosso cérebro por meio dos elementos construtivos

Friday, 10 de June de 2022
A Neuroarquitetura possui diversas subáreas, dentre as quais podemos destacar a BIOFILIA. O uso de elementos naturais no ambiente propicia diversas vantagens, tais como a redução do stress e ansiedade e aumento da produtividade, criatividade e motivação.
 
 
A Neuroarquitetura reside na interseção da neurociência com a arquitetura, e resulta numa área que tem como objetivo estudar qual a influência dos ambientes no nosso cérebro e por consequência, no comportamento humano [1, 2].
 
 
O que é Biofilia?
 
O conceito de BIOFILIA foi postulado por Edward Osborne Wilson, em 1985, em que consiste à tendência nativa de nossa atenção ser cativada por seres vivos e por processos da natureza [3, 4]. Stephen Kellert, professor na Universidade de Yale, conceitua o termo BIOFILIA como “inclinação humana inata para se relacionar com sistemas e processos naturais, em especial elementos biológicos ou aparentemente vivos do ambiente natural” [4, 5]. Estudos mostram que ao estarmos em contato direto com a Natureza, temos inúmeros benefícios em vários campos da nossa vida [1].
 
Qual a importância de ambientes que trazem designers biofílicos?
 
FATO: passamos cerca de 90% da nossa vida em ambientes. Logo, se sabemos que estar em contato com a Natureza é tão benéfico, torna-se imprescindível a utilização de elementos naturais para fazer parte dos nossos ambientes, tendo em vista que esses elementos podem potencializar nossas percepções e proporcionar melhor qualidade de vida aos usuários [1]
 
Trazendo para o momento que estamos vivendo (pandemia mundial causada pelo coronavírus), a configuração dos ambientes que temos contato mudou completamente. Escritórios, escolas, cafeterias dão lugar, principalmente ao ambiente do lar. Logo, ter CONSCIÊNCIA da importância desses elementos naturais e utilizá-los, trazem benefícios inestimáveis.
 
Qual o impacto desse tipo de design no ambiente de trabalho? A utilização desses elementos naturais possuem um impacto relevante e mensurável no desempenho dos profissionais. Quais? Redução do stress e ansiedade, bem-estar, aumento da produtividade, criatividade e motivação. Segundo relatórios disponíveis, os que trabalham em ambientes com elementos naturais mostram níveis mais elevados de bem-estar (+15%), produtividade (+6%) e criatividade (+15%) em comparação com os que trabalham em ambientes sem natureza [1].
 
Por que temos essas melhoras com o uso da biofilia? Qual a relação dela com o nosso cérebro?
 
Para responder a essas questões, vamos pensar no seguinte fato: Nosso cérebro foi programado e desenvolvido para viver na natureza [3]. Portanto, o contato com qualquer elemento que desperte essa nossa relação com a natureza, traz múltiplos benefícios para nossa saúde, principalmente a mental [6].
 
Refletindo um pouco sobre a história da humanidade e o aparecimento das civilizações, nota-se que o homo sapiens passou cerca de 90 mil anos completamente imerso na natureza para posteriormente iniciar a construção de locais mais estáveis que desenvolveram-se para vilarejos e cidades. Dessa forma, a vida em centros urbanos é considerada ainda muito recente (em comparação com toda a trajetória do homo sapiens) e nosso cérebro ainda está se adaptando a essa fato [7].
 
IMPORTANTE: Agregar a Natureza para os projetos de interiores não significa somente a distribuição de vasos com plantas e nem necessita de elementos mirabolantes e grandes projetos (com alto poder aquisitivo) Há inúmeros elementos que potencializam nossa percepção com o ambiente natural, logo, na maioria das vezes pequenos elementos nos permitem fazer a conexão do NATURAL com o nosso cérebro, tais como: Luz natural, ventilação natural, percepção do clima, vegetação, água, cores e formas [1].
 
Faça o teste, coloque elementos naturais e tente ter a consciência (pode ser por meio da atenção plena), e PERCEBA sua conexão com a natureza e usufrua dos aspectos benéficos dessa conexão. 
 
Referências
[1] Quando a Neuroarquitetura e a Biofilia se juntam: estratégias simples para diminuição do stress no local de trabalho (2018). http://www.qualidadecorporativa.com.br/quando-a-neuroarquitetura-e-a-biofilia-se-juntam-estrategias-simples-para-diminuicao-do-stress-no-local-de-trabalho/
[2] NEUROURBANISMO - Qual a relação entre neurociência, arquitetura e urbanismo? (2020). https://www.brainlatam.com/blog/neurourbanismo-qual-a-relacao-entre-neurociencia-arquitetura-e-urbanismo-2018
[3] WILSON, E. (1984). Biophilia. Cambridge: Harvard University Press. ISBN 0-674-07442-4.
[4] Biofilia: o que é e qual sua importância para arquitetura? (2020). https://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/biofilia:-o-que-e-e-qual-sua-importancia-para-arquitetura?.html
[5] KELLERT, S. R.; Dimensions, Elements, and Attributes of Biophilic Design. 2007
[6] Entendendo a Biofilia (2020). https://www.neuroau.com/post/entendendo-a-biofilia
[7] WILSON, E., KELLERT, S. (1995). "The Biophilia Hypothesis". Nova York: Shearwater Press.

The content published here is the exclusive responsibility of the authors.

Autor:

Eric Rodrigues

#functionalconnectivity #stresslearningbullying #languageprocessing #neurocognition #attentionperceptionaction #attentioncontrolconsciousness #plasticityneurofeedbackneuromodulation #motivationemotioncraving #selfperceptionconsciousness #semioticsresearch #executivelegislativejudgmentfunctions #sentienceconsciousness #decisionmaking #metacognitionmindsetpremeditation #culturalneuroscience